Causas

Prejuízo de memória e/ou de outras funções cognitivas podem ter diferentes causas. Algumas das causas mais comuns são: demências, alterações do sono, drogas, depressão, ansiedade, estresse crônico, álcool, Transtorno de Déficit de Atenção, uso de alguns medicamentos entre outras. Somente uma avaliação especializada e interdisciplinar pode identificar a(s) causa(s) deste prejuízo.

Como prevenir

O bom funcionamento da memória deve ser exercitado no dia a dia, com hábitos saudáveis, atividades física, intelectual e de lazer variadas e novos aprendizados.

Mantenha seu cérebro ativo:

  • Pratique regularmente uma atividade física.
  • Exercite seu cérebro: leitura, jogos, palavras cruzadas, uso do computador…..
  • Incremente sua rotina com cursos e novos aprendizados: curso de línguas, computação, trabalhos manuais, pinturas….
  • Cuide de sua saúde: controle pressão arterial, colesterol, triglicerídeos, glicose; evite sobrepeso, abuso de álcool ou outras drogas.
  • Faça atividades de lazer e mantenha o convívio social.
  • Cuide da alimentação: as pesquisas têm indicado que alguns cuidados em relação a alimentação podem ser benéficos. Orienta-se, portanto, a redução do consumo de açúcar, carnes vermelhas e gorduras saturadas e o aumento do consumo de frutas, grãos integrais, peixe, nozes, azeite de oliva e vegetais.

O que muda com o envelhecimento?

Com o envelhecimento o processamento da informação se torna mais lento, por exemplo, teremos maior dificuldade para realizar operações matemáticas mentalmente, lembrar compromissos ou gravar listas de palavras. Além disso poderá haver uma maior necessidade de repetição e atenção para gravar as informações. O acesso a informação gravada é mais difícil sendo comumente relatado como “estando na ponta da língua”, e estímulos externos podem facilmente interferir naquilo que a pessoa esta fazendo. Estas mudanças podem fazer parte do envelhecimento saudável, mas elas não devem interferir com o desempenho e autonomia da pessoa.

Quando devo me preocupar?

Quando perceber dificuldades recorrentes em:

  • Memorizar novas informações.
  • Lembrar fatos ou informações recentes.
  • Lembrar de compromissos.
  • Esquecer completamente uma informação recebida ou um fato.
  • Executar tarefas previamente aprendidas, ex: tricô ou outros trabalhos manuais, cozinhar…
  • Organizar e manter a rotina.
  • Persistir em uma tarefa.
  • Acompanhar uma conversa ou leitura.
  • Alterações de comportamento.

Tudo é memória?

Dificuldades de memória são as queixas mais comuns que levam as pessoas a procurar atendimento. No entanto, outras alterações cognitivas podem estar presentes, como por exemplo prejuízo de atenção, de linguagem, como dar nome as coisas, faltar as palavras quando está falando, dificuldade de se expressar ou compreender o que está sendo dito, dificuldades de raciocínio ou outras. Portanto ainda que pareça, nem tudo é memória, somente uma avaliação especializada pode definir se existe algum prejuízo, quais as funções cognitivas estão comprometidas e qual a gravidade destes prejuízos.